Natal para unir

Por: Assessoria de Comunicação

O Natal chega encerrando um ano onde a compaixão, o amor ao próximo e a concordância nem sempre prevaleceram. É uma data importante que fica ainda mais valiosa quando pensamos que é o momento propício de unir a família e os amigos, reconciliar e resgatar relações.

Devemos seguir o exemplo de Jesus Cristo e perdoar quem nos ofendeu de alguma forma, assim como nos redimirmos por erros que possamos ter cometido. Em um ano marcado pela disputa ferrenha e nem sempre respeitosa de ideias, a ceia do dia 24 e o almoço do dia 25 merecem ter sabor de confraternização, união e alegria.

Uma busca pelo retorno de laços possivelmente desgastados que perpassa o Cristianismo e deve ser adotada por professadores de todo tipo de fé. Amar nossos irmãos é um ato sublime que não conhece formas de santos, budas, templos, igrejas ou afins. É humano.

É o tempo de celebrar mais um ano de muito trabalho, valorizar as conquistas e aprender com as perdas e os erros. Colocar em primeiro plano o amor e o carinho pelas pessoas que nos cercam e matar as saudades daquelas que moram longe.

O clima que deve prevalecer é este, de empatia por quem faz parte de nossas vidas.

Aproveitar o encontro de diferentes gerações para que as lições de vida sejam perpetuadas. Dos mais velhos àqueles que ainda estão no colo ou esperando para nascer, todos devem entrar no clima natalino que pede compreensão, amor e paz.

Não podemos nos esquecer do que realmente representa esta data. O nascimento de Jesus Cristo significa esperança em dias melhores que estão por vir e remissão de dias sombrios que já passaram.

O Natal carrega consigo a vontade de um mundo melhor para todos. Um mundo com mais tolerância a quem de mim possa discordar. Prestando mais atenção ao que de bom temos em nós do que apontando aquilo que nem sempre nos orgulha.

É tempo de baixar a guarda e deixar o amor prevalecer sobre a Terra. É o que nos ensinou Jesus e que precisamos perpetuar. A cada ano, a cada ceia, precisamos renovar o amor que existe em nós, a empatia pelo outro e o cuidado com todos os nossos irmãos.

O Natal é muito mais do que se fartar em ceias deliciosas preparadas com muito carinho. Devemos saciar a fome do corpo ao mesmo tempo em que preenchemos nossa alma com compreensão, respeito e afeto.

Do mais lauto banquete até a mais simples ceia o prato principal precisa ser o cuidado com o próximo. A troca de presentes deve ir além do material e ganhar espaço também na troca de abraços, elogios e ideias capazes de unir em vez de desagregar.

Como disse recentemente o Papa Francisco usando o Twitter, “amar a Deus significa servir o nosso próximo sem reservas e procurar perdoar sem limites”. Que assim seja!

Feliz Natal!

 

Arnaldo Jardim é deputado federal PPS/SP

www.arnaldojardim.com.br

www.facebook.com/deputadoarnaldojardim

www.instagram.com/arnaldojardimoficial

arnaldojardim@arnaldojardim.com.br

comentários