Arnaldo Jardim assume vice-presidência da Região Sudeste pelos próximos dois anos na FPA

Por: Assessoria de Comunicação

O deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania) foi reconduzido â diretoria da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) no Congresso Nacional como vice-presidente da Região Sudeste. Em reunião na terça-feira, 26 de novembro, a Frente também reelegeu o deputado Alceu Moreira como presidente da mesa diretora 2020.

Os parlamentares tomaram ainda a decisão de retomar o estatuto e reestabelecer o mandato de dois anos. “A Frente tem um papel determinante na luta pela valorização de um dos setores mais virtuosos e pujantes do Brasil. Hoje renovamos nosso compromisso com o Agro e reforçamos nossa missão de defender as pautas importantes para todas as cadeias produtivas”, ressaltou Arnaldo Jardim.

São temas em discussão no Congresso que contam com apoio dos integrantes da FPA como licenciamento ambiental, conectividade no campo, agroquímicos, Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) – recém-aprovado em Comissão com parecer de Arnaldo Jardim – e a PEC 42/2019, que propõe a extinção da Lei Complementar 87/1996 (conhecida como Lei Kandir), que desonerou as exportações de produtos primários e semielaborados do ICMS.

 “É um desafio enorme trabalhar a pauta de um setor que sofre com preconceitos. Nossa meta é melhorar a imagem do Agro no Brasil e no mundo para agregar valor ao nosso produto e garantir mais emprego e renda, com alimento de qualidade e barato para a população”, destacou Alceu Moreira.

Estratégia de promoção

O presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Sérgio Ricardo Segovia Barbosa, para discutir estratégia de promoção dos produtos agropecuários no exterior. “Apex é uma ferramenta de fundamental importância. Faremos um grande trabalho para aumentar o portifólio de produtos e trabalhar a imagem do setor lá fora”, destacou o presidente da FPA.

De acordo com Moreira, hoje são trabalhados 10 a 12 produtos para exportação. “Eles correspondem a mais de 80%, no entanto nós produzimos muito mais produtos em cadeias curtas ou cadeias menores, mas não tem organização suficiente para atingir o mercado internacional. ” O parlamentar destacou ainda que será realizada reunião com a Apex e com setores interessados.

Segovia ressaltou as frentes de ação trabalhadas para manter o agronegócio como um pilar estratégico de atuação, sendo uma delas o Programa de Imagem e Acesso a Mercados do Agronegócio (PAM Agro). De acordo com ele, o Programa foi estruturado há pouco mais de dois anos, em resposta à necessidade de comunicarmos melhor, mais tempestivamente e de forma estruturada os atributos do Agro.

A ideia é criar um circuito internacional de melhoria da imagem do setor que, segundo ele, tanto oferece ao nosso país e tanto sofre com os erros de comunicação e percepção. “O programa congrega estratégias, com visão a longo prazo, a fim de reposicionar o diálogo internacional acerca da nossa produção, com destaque para a sua sustentabilidade”, disse.

 

Assessoria de Comunicação

Deputado federal – Arnaldo Jardim (Cidadania/SP)

comentários