Arnaldo Jardim destaca perspectivas do cooperativismo de crédito em reunião com Banco Central e OCB

Por: Assessoria de Comunicação

Representante do Ramo Crédito da Frencoop – Frente Parlamentar do Cooperativismo, o deputado Arnaldo Jardim se reuniu hoje com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, para apresentar as perspectivas do cooperativismo de crédito.

“É um setor que se torna ainda mais importante neste momento em que o sistema financeiro mais uma vez mostra-se incapaz de corresponder às questões que se colocam. O dinheiro não está chegando às empresas, há uma concentração no setor financeiro no Brasil”, destacou Arnaldo Jardim.

O deputado lembrou que é autor do projeto de Lei Complementar em tramitação na Câmara dos Deputados elaborado com a participação da OCB e do Banco Central com o objetivo de modernizar a legislação sobre as cooperativas de crédito no Brasil, fortalecer as economias regionais e atender nichos específicos nas 27 unidades da federação.

“Nossa proposta tem o objetivo de disponibilizar aos seus cooperados novos produtos, com mais agilidade e modernidade, bem como atender integralmente a demanda por crédito, em especial, daqueles cooperados pessoas jurídicas. Uma das ações para potencializar o crescimento e gerar a formação do desenvolvimento desconcentrado é fomentar as economias locais em seus mais diversos ambientes e particularidades”, justifica o parlamentar.

Roberto Campos apresentou o cenário do país, os desdobramentos econômicos e o comportamento do mercado financeiro nesse momento. Ressaltou que uma das suas maiores preocupações é “fazer o crédito chegar a quem precisa” e reforçou que conta com as cooperativas de crédito para isso.

Os líderes do cooperativismo também apresentaram sua análise do cenário e algumas das suas demandas, para atender ainda melhor a população. Uma das preocupações é com propostas legislativas que preveem quebra de contrato, como o não pagamento do crédito consignado.

O setor

Distribuídas por todo o Brasil, as cooperativas de crédito, instituições financeiras sem fins lucrativos, reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central do Brasil, reúnem cerca de 11,5 milhões de cooperados.

Estudo recente elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostra a inclusão financeira de famílias, pequenos produtores e empresas forma um ciclo virtuoso que fomenta o empreendedorismo local, reduz desigualdades econômicas e aumenta a competitividade e a eficiência no sistema financeiro nacional.

O mesmo levantamento mostra que cada R$ 1,00 concedido em crédito gera R$ 2,45 no PIB da economia e a cada R$ 35,8 mil concedidos pelas cooperativas, uma nova vaga de emprego é criada no país.

comentários