Líder do Cidadania espera que novo ministro da saúde tenha como parâmetro “ciência, ciência e mais ciência”

Por: Assessoria de Comunicação

O líder do Cidadania na Câmara, deputado Arnaldo Jardim (SP), disse esperar que o novo ministro da Saúde se guie sempre pela ciência e pelo interesse público na gestão da pasta.

O parlamentar avaliou que Luiz Henrique Mandetta desempenhou um bom papel na condução da grave crise de saúde pelo qual passa toda a humanidade.

Jardim afirmou ainda que o Legislativo precisa continuar atento para que políticas públicas nessa área sejam rapidamente implementadas e que não haja retrocesso.

“É ciência, ciência e ciência. Esperamos que esse seja o parâmetro do novo titular da saúde. Com a saída de Mandetta, torcemos para que não seja demitida a política do isolamento social, a transparência na divulgação de dados sobre o novo coronavírus, a integração da pasta com municípios e estados, ou seja, tudo aquilo que era uma política pública bem desenvolvida até então”, disse o parlamentar.

O líder do Cidadania comentou ainda que a saída de Mandetta amplia a responsabilidade do Legislativo.

“É claro que é prerrogativa do chefe do Executivo nomear e demitir seus ministros, mas Câmara e Senado deverão redobrar a atenção no sentido de zelarem por tudo aquilo que já foi deliberado. Ou seja, o Parlamento não poderá tolerar qualquer medida palaciana que ponha em risco a saúde dos brasileiros”, acrescentou.

Jardim lembra que Jair Bolsonaro provocou desorientação quando se comportou de forma contrária ao estabelecido pelo plano de ação da pasta da Saúde, que tinha como parâmetro as recomendações de instituições de credibilidade internacional a Organização Mundial de Saúde (OMS). A defesa do isolamento social e do uso da substância cloroquina foram os principais pontos de divergência e o presidente e o ministro.

comentários