Arnaldo Jardim questiona ministério sobre o porquê do aumento da remuneração de térmicas sem contrato

Por: Assessoria de Comunicação

Publicado por PPS

O deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP) apresentou pedido de informações ao Ministério das Minas e Energia (MME) sobre aumento na remuneração de três usinas térmicas a gás natural que estão sem contrato vigente. Elas estavam paradas por causa do dispêndio elevado com os custos. Além de ter uma remuneração mais significativa que empresas do setor, por incluir também os custos fixos da termelétrica, esses empreendimentos serão excluídos pelo governo das repercussões financeiras de inadimplência no Mercado de Curto Prazo (MCP).

Um dos pontos importantes do questionário enviado ao MME foi o que trata do aumento nas tarifas de energia elétrica. O deputado perguntou qual será o impacto financeiro do acionamento dessas térmicas no bolso do consumidor. A resposta sairá em um mês.

As usinas são as de Uruguaiana, da EAS; Araucária, da Companhia Paranaense de Energia; e Cuiabá, da Âmbar (grupo J&F). Jardim questionou o porquê das mudanças das regras de acionamento das três usinas. O parlamentar perguntou também quais eram os critérios usados na definição do custo do megawatt.

“Uma vez que as usinas a serem despachadas não têm contrato de fornecimento de combustível, como ficará a comprovação de suprimento do combustível principal? ”, indagou Jardim ao ministério.

comentários