Reunião com representantes da suinocultura discute medidas de enfrentamento à crise

Por: Assessoria de Comunicação

O deputado federal Arnaldo Jardim (Cidadania-SP) se reuniu na quinta-feira, 2 de abril, com o setor da suinocultura para avaliar medidas que minimizem os impactos causados pela crise trazida pela pandemia do novo Coronavírus. Em reunião virtual com criadores e frigoríficos, o deputado destacou ações que vêm sendo tomadas no Congresso e reforçou a necessidade do isolamento social.

“Diante da crise tivemos uma preocupação porque ela interrompe a produção e a distribuição de renda do País, particularmente para os informais, que ficam sem nenhum rendimento. É uma questão de dignidade, de sobrevivência, de evitar que isso se desdobre em alguma crise social”, apontou Arnaldo Jardim.

Segundo ele, a primeira preocupação do Congresso na área econômica foi abrir frentes de recursos para enfrentar o vírus e salvar vidas, como a retirada do limite de déficit do governo federal para ele ter condições de atuar, além de zerar a fila do Bolsa-Família – começando a criar o que vem sendo chamado de colchão social para amortecer os efeitos da crise.

O Congresso também analisa a Medida Provisória (MP) 927, lembrou Jardim, que abre espaço para o governo complementar salários e consegue dar mais fôlego às empresas, que poderão ser auxiliadas também por linha de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES).

O trabalho do Legislativo inclui também análise de postergação de tributos, assim como flexibilização de prazos e outras “medidas de alívio para a economia. Além disso, vamos votar para reforçar medidas de fortalecimento do Banco Central”.

Preocupado com os prejuízos causados pela diminuição da circulação de pessoas, Ferreira Junior, presidente da Associação Paulista dos Criadores de Suínos (APCS) disse que “o setor hoje precisa de dinheiro tanto para folha quanto para fluxo de caixa e pagamento das dívidas”.

Ele apontou como uma saída a retomada das negociações com a Câmara de Comércio Brasil-China, tendo a exportação como oportunidade de renda. “A China está desabastecida, temos mercado”, opinou.

comentários